quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Novo conceito de cadeira!!!

Novo conceito de cadeira...será a solução para os projetos mais apertados?!?! huahuahua

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Informe FC:

Comunicamos que estamos em final de período e esses pobres alunos de arquitetura estão numa correria louca para entregar o PA!!! Por isso o tamnho sumisso!!

Breve retornaremos para trazer mais posts pra vocês!!

sábado, 23 de maio de 2009

Para arquitetos e brincalhões - Frank Lloyd WrightCollection Lego


Para a comemoração dos 50 anos de morte de Frank Lloyd Wright, LEGO transformou duas grandes obras do arquiteto em pecinhas para serem montadas.
As peças de LEGO dos projetos Falling Water House e Museu Guggenheim podem ser compradas por cerca de 45 dólares (frete não incluso).

O designer das peças é Adam Reed Tucker, da Brickstructures Inc, que também fez outros projetos para a série LEGO ARCHITECTURE.


Museu Guggenheim:




























Casa da Cascata:




































 











Agora é correr para a Ri Happy para garantir o seu!!! huahuahua



terça-feira, 19 de maio de 2009

Workshop Sobre divulgação e blog

Imagens históricas!!!

Ai vão as fotos tiradas no Workshop sobre a importância dos blogs na divulgação da arquitetura. a direita , sentados, Henrique Gonçalves e Thiago Beck, donos do vista doobservador.blogspot.com , em pé, David Lemos e a direita, eu, Estêvão Borges. 














Nessa foto podemos ver a intrusa...huauha...Mayara, estudante de Comunicação do CES/JF que presenciou o evento, além de participar tirando a foto anterior, obrigado pela colaboração!!! huahuauh
















domingo, 17 de maio de 2009

Grupo REARQ

Grupo de alunos e professores que pesquisam sobre “Arquitetura e Movimento Moderno nas cidades de Juiz de Fora e Cataguases: influências e atuação dos arquitetos e urbanistas formados e radicados na cidade do Rio de Janeiro”, desenvolvido na Universidade Federal de Juiz de Fora.

Faz parte desse grupo o professor e presidente do IAB-JF Mauro Campelo, um dos palestrantes da 1ª Semana da Arquitetura e Urbanismo do CES/JF.

O REARQ está trabalhando em um novo prjeto: lançar um Museu Virtual com as Arquiteturas Modernas de JF e Cataguases. Por isso quem tiver algum material, como fotos, desenhos ou textos poderá contribuir para o acervo.

Eles estão com um outro projeto que consiste na criação de um 3D e de uma maquete física da casa Marajoara (derrubada ridicurlamente no sábado retrasado) e a Casa Fernando de Assis (projetada pelo engenheiro/arquiteto Arthur Arcuri, antiga sede do colégio Magister, também demolida).

Para maiores informações sobre o grupo e contatos acessem: http://gruporearq.blogspot.com/





quinta-feira, 14 de maio de 2009

Até quando é o limite???

Passeando pela net e pelos sites de arquitetura nos deparamos com essas pequenas “ construções” e nos perguntamos: até quando é aceitável diminuir os espaços de vivencia do ser humano???

Muitas são as boas soluções, mas algumas são exagero total:

Small House Society:






































































Os fundadores da Small House Society, Jay Shafer, Shay Salomon, Nigel Valdez e Gregory Johnson defendem que, com os recursos economizados na construção de uma casa menor e mais adaptada às suas reais necessidades, sobra mais tempo e dinheiro para o lazer, a família, para a educação, saúde e outras coisas que realmente importam.

Como diz Jay Shafer: “Quando o mundo todo é sua sala de estar, uma pequena casa parece suficiente”.


Loft Cube:



















Um exemplo de solução interessante é o loft cube.  Com  boas soluções espaciais, a residência se mostra confortável mesmo possuindo apenas 40 m²

[m-ch]:














O micro compacto home [m-ch] é leve e muito compacta, habitação para uma ou duas pessoas. Suas dimensões são de apena s 2.6m formando um cubo e pesa 2.2 toneladas. 

Casa Tarzan:







































































Cada projeto é único, sendo desenvolvido e avaliado um por um, de forma a considerar fatores característicos como a interferência ambiental, o tipo e as condições estruturais das árvores e a dimensão necessária  de cada projeto. Para transformar a idéia em uma perfeita integração entre homem e natureza, é necessário saber preservar o meio-ambiente. 


A depender do projeto, a casa vem simples ou completa com móveis, mini-cozinha, depósitos, aquecimento, luz e até sistema de som multimídia. Para a segurança estrutural, são instalados tirantes e cordas, mas se não houver a possibilidade do encaixe total no tronco, são construídos palanques e pilastras. Essas construções mesmo com a finalidade inicial de residência, hoje já se tornaram foco de grandes empresas, parques, hotéis e demais empreendimentos ao redor do mundo.


Nakagin Cápsule Tower: 


































Nakagin Capsule Tower é um edifício localizado em Shimbashi, Tóquio, Japão. Projetado pelo arquiteto japonês  Kisho Kurokawa, tem as suas funções variadas entre residencial e escritórios. O tempo de projeto e execusão da obra foi de um pouco mais de dois anos, mais precisamente entre os anos de 1970 e 1972.

A construção de 13 andares é composta por cápsulas, pré-fabricadas em medida padrão de 2,3m X 3,8m X 2,1m. Cada uma dessas peças é presa por quatro parafusos de alta tensão a uma de suas duas torres, podendo assim, ser substituída a qualquer momento trazendo uma idéia pelo o arquiteto de sustentabilidade, embora, até hoje nenhuma das 140 cápsulas tenham sido trocadas e existe boatos sobre sua demolição.

Conclusão:

Não importa o tamanho da construção, pequenos projetos são naturais e necessários, porém assim como analisamos grandes projetos temos que cobrar as mesmas coisas dos pequenos: o bem estár do homem, atendendo a função, técnica aliado a estética e forma.

Também é importante ver os projetos "prontos", afinal, sua implantação tem que ser coerente e bem feita no terreno, não podendo ser implantado de qualquer maneira, afinal o terreno também compõe a arquitetura.




A volta por cima!!!

A um pouco mais de 1 ano atrás, eu, Estêvão, um calouro na faculdade de Arquitetura e Urbanismo do CES/JF resolvi criar um blog, para adquirir e repassar o conhecimento e discussões sobre o tema.

Como fiz uma grande amizade no curso chamei mais um apaixonado pelo tema para fazer companhia, o David.

Porém, a falta de tempo e a preguiça tomaram conta da nossa vida, e até hoje não conseguimos atingir nossos objetivos com a criação do blog.

Mas tudo tem q mudar um dia, e nada como um grande evento para abrir nossas cabeças.

Está sendo realizada a 1ª Semana da Arquitetura e Urbanismo do CES/JF. Com excelentes palestras e grandes nomes da arquitetura brasileira.

Além das palestras, Workshops também foram oferecidos, entre eles: “A importância do blog na evolução do estudante e na divulgação da arquitetura”, ministrado pelos também alunos Henrique Gonçalves e Thiago Beck, esses que além de amigos são famosos na arte da divulgação do blog vistadoobservador.blogspot.com.

Na oficina aprendemos e recebemos dicas para também sermos bem sucedidos com nosso velho e esquecido blog. Com isso tomamos a seguinte decisão: vamos nos dedicar com grande empenho no formas do conteúdo.

Por isso, na hora em que você, estudante, profissional ou apenas um interessado passar pela internet para ver seus recados no Orkut passe sempre por aqui. Apresentaremos no formas as útimas noticias sobre arquitetura e urbanismo em geral. Queremos criar discussões, intrigas e também passa tempo com conteúdo e descontração para você, o nosso leitor!!!! Huahuahuahua

A participação de cada um de vocês será importante para o desenvolvimento do blog e incentivo para eu e o David continuarmos postando.

Agora é a nova era no formas do conteúdo, aguardem!!!

OBS: A partir de amanhã comentários, resumos e discuções sobre a 1ª Semana da Arquitetura e Urbanismo do CES/JF.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Niemeyer aos 101 anos inventa moda e cria polêmica!!!


























Oscar Niemeyer tem obras espalhadas pelo mundo inteiro. Mas uma, para ele, é especial: a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, com seus palácios futuristas, o congresso, a catedral... Uma verdadeira galeria de arte do maior arquiteto brasileiro.

A paixão é tão grande que ele, que tem pavor de avião, encarou aos 101 anos, uma viagem de carro de mais de mil quilômetros para visitar a cidade em dezembro. Foi quando teve a idéia de criar mais uma obra na Esplanada: a Praça da Soberania.

Pelo projeto, a praça seria construída a 400 metros da rodoviária do plano piloto, ao lado do Museu da República. O prédio em curva abrigaria um memorial de ex-presidentes da república. E um obelisco de cerca de cem metros de altura completaria o conjunto arquitetônico.

E aí é que começa a polêmica. Muitos arquitetos entendem que a praça vai bloquear a visão do Congresso Nacional. E isso fere o projeto original da cidade. O urbanista Lúcio Costa criou a Esplanada com um canteiro central livre de construções para que o Congresso seja visto de longe. A arquiteta Sylvia Ficher, da Universidade de Brasília, condena o projeto. “Ele cria uma discordância naquele conjunto que é bem caracterizado, é um conjunto típico do urbanismo de fins da década de 1950, começo dos anos 1960 e ele não tá precisando, não tá fazendo falta essa praça”, comenta Sylvia Ficher, arquiteta - UNB.

O diretor do Instituto do Patrimônio Histórico Artístico e Nacional em Brasília nem quer entrar na discussão. Pra ele, por Brasília ser patrimônio cultural da humanidade...

“Ali não pode construir nada. Nem uma cabaninha, nem o que for. Isto é o tombamento”, diz Alfredo Gastal, superintendente do IPHAN.

Tem aqueles que defendem a praça. “Esse projeto do Oscar Niemeyer simplesmente ele eleva a condição estética da Esplanada como um todo”, fala Cláudio Villar de Queiroz.

E há também saídas alternativas. Maria Elisa, a filha de Lúcio Costa, parceiro de Niemeyer na construção de Brasília, gosta da ideia da praça, mas sugere que ela fique em outro lugar.
“É uma reação que não quer que mexa naquela música original. Sabe como? Como diz assim: olha, minha paisagem é essa. Essa eu gosto. Essa eu tô acostumado. Não mexe. Não mexe. Não é uma coisa assim, contra!!! É uma coisa que: ali não, ali não... Não mexe, tá bom!”, diz Maria Elisa Costa, arquiteta.

Niemeyer está surpreso com as reações e argumenta em defesa de sua criação. Num artigo publicado no Correio Braziliense diz que “a briga está boa, cada um defendendo seu ponto de vista, mas que ele não vai desistir da luta”.
Fonte: globo.com

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Estádios para a copa de 2014!!!

Eu sei q o conteúdo eh mto pouco ou quase nd (nao, nao sou o Nando Reis) pra fazermos uma análise ou tirarmos alguma conclusão da qualidade das obras arquitetônicas e reformas d estádios já construidos.
Porém nos faz abrir os olhos para oq nos espera e oq mostraremos para o mundo daki a aproximadamente 5 anos

Fonte: globoesporte.com

Os representantes das 18 cidades brasileiras que estão na briga para serem sedes da Copa do Mundo de 2014 entregaram nesta quinta-feira à CBF o relatório de encargos com informações sobre os projetos e as garantias para cumprir os itens exigidos pela FIFA. Os dossiês serão enviados para a sede da entidade, em Zurique, na Suíça.
No próximo dia 30, uma missão da FIFA chega ao Brasil para conhecer algumas cidades postulantes e conferir a veracidade das informações contidas no relatório de encargos. O anúncio das sedes da Copa de 2014 será no dia 15 de março. O provável é que a Fifa selecione 12 cidades brasileiras. Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte e Brasília estão pré-escolhidas. Restam sete vagas que são disputadas por Belém, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Maceió, Manaus, Natal, Recife, Rio Branco e Salvador.














Em Manaus, um novo estádio com arquitetura moderna seria construído na área em que atualmente está o estádio do Vivaldão. Os investimentos previstos na capital do Amazonas na construção da arena, com capacidade para 46 mil torcedores, e obras de infra-estrutura giram em torno dos R$ 6 bilhões.














Em Salvador, o projeto vai aproveitar 50% do anel inferior atual da Fonte Nova. O estádio teria capacidade para 55 mil pessoas. Os investimentos giram em torno de R$ 230 milhões. O anel superior seria totalmente novo e teria 36 camarotes.















Em Porto Alegre, o Beira-Rio ganharia uma nova cara. O estádio receberia uma cobertura em estrutura metálica. A capacidade seria ampliada para 60 mil torcedores. Um edifício seria construído para servir como estacionamento. Toda a volta do anel inferior receberia camarotes e suítes. O custo é de R$ 350 milhões.














Em Belo Horizonte, o Mineirão teria o campo rebaixado, novas cadeiras e uma moderna cobertura. As gerais vão ganhar cadeiras. A capacidade cairia para 74.300 torcedores. O estacionamento vai ganhar mais duas mil vagas. O custo seria de R$ 300 milhões.














No Rio de Janeiro, o Maracanã ganharia uma nova cobertura. Um museu seria construído no local do parque aquático Júlio Delamare. O estacionamento ficaria em um prédio acima das linhas da Supervia e do metrô. Seriam cerca de 3.500 vagas. O custo previsto é de R$ 400 milhões.














Em São Paulo, o Morumbi ganharia nova cara. A capacidade passaria para 66.952 pessoas. O estádio ganharia cobertura na arquibancada e melhorias internas. Um estacionamento para 4.800 carros seria construído em frente ao portão 1.














Em Rio Branco, no Acre, a bandeira é para ser a "sede verde da Copa". A Arena da Floresta precisa ser ampliada para receber 40.900 pessoas. Os maiores custos seriam com a infra-estrutura da cidade, principalmente com o setor hoteleiro.















Em Natal, um projeto diferente. Batizado de Estrela dos Reis Magos, o novo estádio teria seis pontas e foi inspirado em um dos monumentos históricos da cidade. A capacidade seria de 65.100 torcedores. Na parte externa, o estacionamento seria para 10.260 carros. O estádio está orçado em R$ 280 milhões.















Maceió iria construir um novo estádio batizado de Arena Zagallo, com capacidade para 45.337 pessoas. O custo estimado do projeto é de R$ 260 milhões. Um shopping também seria feito junto ao estádio.














Em Goiânia, o Serra Dourada também passaria por grandes obras. O custo preliminar está na casa dos R$ 180 milhões. O projeto prevê um novo anexo, uma cobertura moderna e novos acessos.











Em Fortaleza, o custo das obras é de R$ 400 milhões. O Castelão ganharia uma cobertura verde e o estacionamento seria subterrâneo para 4.200 carros. O fosso seria retirado e os torcedores ficariam a 21 metros do gramado. A capacidade cairia para 50 mil pessoas. O projeto inclui complexo esportivo ao redor do estádio.














Em Florianópolis, um novo estádio seria construído no local onde está o Orlando Scarpelli. O custo está na casa dos R$ 400 milhões. A capacidade seria de 42.470 lugares, além da construção de um complexo com um shopping, escritórios, cinemas e centro de convenções, que permitiria o uso da arena por toda a semana.















Em Curitiba, a Arena da Baixada ganharia uma nova cara. O anel seria fechado. As obras devem levar dois anos e a capacidade aumentaria para 41.375 torcedores. O fosso seria retirado e quatro saídas abertas nos cantos do gramado. O investimento seria de R$ 150 milhões.















Em Cuiabá, o estádio Verdão precisaria de R$ 340 milhões para sair do papel. A capacidade seria de 40 mil lugares, todos cobertos. O estacionamento teria vagas para 15 mil veículos. Dois centros de treinamento, nas localidades do Lago de Manso e na Chapada dos Guimarães, também fazem parte do projeto.














Em Campo Grande, a reforma deixaria o Morenão com capacidade para 44.355 pessoas. O projeto prevê investimentos de R$ 500 milhões. O estádio teria cobertura, área vip, além de praça de alimentação e shopping.















Em Brasília, a reforma do Mané Garrincha duraria três anos. O estádio teria a capacidade ampliada para 76.232 torcedores. O custo estimado para a obra é de R$ 250 milhões. Uma nova cobertura nas arquibancadas seria construída, assim como um anexo que receberia os novos vestiários.














Em Belém, o Mangueirão será reformado. O estacionamento seria ampliado. Todos os setores vão ganhar cadeiras com encosto. As obras devem durar dois anos. O custo é estimado em R$ 200 milhões A capacidade passaria para 43.788 espectadores.














Em Recife, o projeto prevê a construção de um bairro inteiro chamado de "Cidade da Copa" ao custo de R$ 1,6 bilhão. A Arena seria para 46.154 pessoas e ainda teria camarotes, lojas, restaurantes, centro de convenções, teatro e cinemas, além de estacionamento para seis mil veículos.
Momento Zuação:
Em Juiz de Fora, o Estádio Radialista Mario Heleno ganharia cobertura q atrapalharia o espectador a assistir o jogo, além de tirar completamente a vista para o céu. Pilares seriam
implantados cuidadosamente na frente do rosto do torcedor, criando maior emoção ao jogo. A iluminção será mantida, porém, qdo chuver uma verdadeira cachoeira será criada devido a cortes na cobertura de acabamento jamais visto. Está obra está orçada em R$148 mil e o melhor, a merda, ou melhor, a reforma já está feita.
Huahuahuahu...irresistivel dar essa zuada!!!